fbpx

Inadimplência e acesso ao crédito: como o Open Finance pode ajudar?

A inadimplência e o acesso ao crédito.

A inadimplência está batendo na porta da casa dos brasileiros. Segundo dados da Confederação Nacional do Comércio, Serviços e Turismo (CNC), a porcentagem de famílias com endividamento subiu para 30,6% em outubro, volume 4,6% maior na comparação anual, atingindo o maior patamar desde março de 2016. Mas a boa notícia é que, com o avanço do Open Finance, essa realidade pode ficar mais amena. 

De acordo com a pesquisa da CNC, o índice elevado de inadimplência está ligado à combinação de dois fatores: alto nível de endividamento do consumidor e juros altos, que, por consequência, encarece o crédito, dificultando o acesso e a quitação dos compromissos financeiros. 

Segundo dados do Banco Central, os juros anuais cobrados em todas as linhas de crédito para pessoa física atingiram 53,7% em média no mês de setembro, com evolução de 12,5 pontos porcentuais ao longo de 2022. 

A inadimplência no país pode ser impulsionada por fatores como: 

  • Taxas de juros elevadas 
  • Alto nível de endividamento e comprometimento da renda 
  • Redução da inflação e estímulo ao maior consumo  
  • Crédito mais caro 

Como o Open Finance pode favorecer a concessão de crédito? 

Com o país convivendo com a inadimplência acelerando a passos largos e o consumidor com alto nível de endividamento, o Open Finance entra na discussão sobre esse tema, já que deve gerar grandes impactos, tanto para as empresas do setor financeiro quanto para as pessoas físicas. 

Com o compartilhamento dos dados dos usuários, as organizações vão conseguir se relacionar com um número maior de pessoas, até mesmo aqueles que nunca fizeram parte de sua carteira de clientes.  

A tendência é que a inovação dite a regra para o desenvolvimento de novos serviços e produtos, cada vez mais personalizados, o que deve acirrar a oferta de crédito para os consumidores entre os bancos e fintechs. E, isso, consequentemente, deve impulsionar o aumento do volume de crédito disponível no mercado. 

Essa percepção já é sentida pelos consumidores. Segundo dados de uma pesquisa feita pela consultoria EY em 2020, 29% dos consumidores entendem que o Open Finance pode ajudar a reduzir as taxas e tarifas bancárias de forma geral. 

Quais os benefícios que o Open Finance trará para o consumidor que está inadimplente? 

Com os dados do usuário em mãos, as instituições financeiras terão a oportunidade de conhecer o cliente mais a fundo e poderão compreender as origens da inadimplência financeira, se foi ocasionada por um desemprego ou outra situação pontual – ou até mesmo se é de longa data. Esse tipo de informação faz toda a diferença na hora de criar uma oferta. 

De acordo com especialistas, a decisão de oferecer ou não crédito se torna mais rica e assertiva com o Open Finance, o que tende a colocar um ponto final naquela regra de que “os bons pagadores pagam pelos maus”. Ao compreender com profundidade a real capacidade financeira dos clientes, as taxas de inadimplência tendem a cair naturalmente.  

Com o Open Finance, os consumidores endividados, que costumam ter dificuldade de conseguir crédito ou acesso a empréstimos quando estão inadimplentes, deverão ter acesso a um número maior de empresas oferecendo soluções específicas, aumentando as chances de obter um novo crédito no mercado para quitar suas dívidas. 

Um estudo publicado pela Serasa Experian mostrou que as fintechs acumulam um crescimento de 62,8% no volume anual de crédito concedido entre o período de 2016 e 2021, com uma velocidade de expansão mais de sete vezes maior do que o mercado em geral.  

Se depender da capacidade das fintechs de oferecer crédito, a inadimplência tende a ser reduzida em menos tempo com o Open Finance. O tempo dirá. 

Últimos posts